06/05/2015 ‪#‎horóscopo‬ ‪#‎efemérides‬

A Lua segue no signo do Centauro.
Lua no signo dos rompantes cavalares e da ferida exposta: a ferida dos professores, a ferida dos imigrantes, a ferida das leis e das religiões.
A Lua faz trígono a Júpiter, o planeta que a recebe. Júpiter , o grande benéfico, no signo do Sol. Há uma ferida no coração do mundo.
É preciso entender o sentido de justiça de que nos fala os céus: é nessa justiça que reside a grande cura, é nessa justiça que reside A Justiça. É nesse entendimento que vem à tona a alegria do Centauro.
Hoje é quarta-feira, dia de Mercúrio.
As idéias de expansão precisam se movimentar. Coloque as suas pra cavalgar. Lance as flechas.
Bom dia.
– Letícia Helena C. Santa Cruz

05/05/2015 – ‪#‎horoscopo‬ ‪#‎efemerides‬

E a Lua em Sagitário. E a Lua conjunta a Saturno no grau do céu onde professor é ferido seriamente.
Além das bombas, o ministro da educação Renato Janine Ribeiro disse a verdade: “acabou o dinheiro do Fies”. A verdade precisa ser dita para que a sociedade se refaça. Eu disse que a verdade precisa ser dita, não jogar bombas em professores.
Ontem também vi notícia que fábricas de carros anunciam férias coletivas aos seus funcionários. Para mim, uma boa notícia. Chega de tanto carro sendo despejado nas ruas do país. São 20 anos, ou mais, vendendo carro até dizer chega. Mas a notícia é triste para os trabalhadores. É assim a justiça, difícil agradar a todos.
A Lua caminha pelo signo de Sagitário que, apesar das restrições impostas por Saturno, pelo tempo e pelo mundo, com fé segue adiante.
A sociedade civil, as pessoas de ética deste país, se não se unirem em torno de pautas minimamente unânimes e éticas, o que veremos no Congresso e nas ruas, será a barbárie. Então, entenda, é preciso estar atento e forte.
A Lua caminha em Sagitário e Marte está em Touro conjunto a Algol. Notícia de justiça feita começam a chegar aos nossos ouvidos.
Bom dia, Saturnália.

Astrologia é um intrincado sistema de justiça.

lua em escorpião

E a Lua em Escorpião, agora, assim como na última madrugada. É comum pesadelos sob a Lua do veneno. Há quem diga que é uma forma de expurgo. Ou, simplesmente, o humor (lua) em estado de guerra (escorpião, signo de marte).

04/05/2015 ‪#‎horóscopo‬ ‪#‎efemérides‬

Hoje é segunda-feira, dia da Lua.
A Lua segue em Escorpião, signo em que tem sua queda.
O humor do mundo sob o signo da toxicidade como estratégia para manutenção da vida.
A Lua no domicílio de Marte se afasta do Sol e de Júpiter e caminha para encontrar Marte.
Contemple o inimigo antes de se autorizar a prever o momento do ataque. O veneno é menos tóxico quando usado como defesa. Tem certeza que sabe do que é preciso se proteger?
Às vezes a dúvida liberta.
Bom dia.
– Letícia Helena C. Santa Cruz

Algol – parte 1

Caput Algol, estrela que faz parte da constelação extra zodiacal Perseu que, hoje, alinha-se ao grau 56 e 10 da eclíptica, isto é, a 26 graus e 10 de Touro, é a estrela com a pior fama da Astrologia. E também pudera, afinal, Algol designa decapitação ou morte por enforcamento (seja pela água, pela corda ou pela espada), assim como também quedas espetaculares, terríveis acidentes, estupro, atentado e morte violenta. Caput Algol – a terrível.

Caput Algol, também conhecida como Cabeça-da-Medusa ou o Olho do Demônio, segundo Ptolomeu, é uma estrela da natureza de Júpiter e Saturno. E, de fato, é uma estrela que anuncia dramas envolvendo justiça (Júpiter) e poder (Saturno). Para quem tem Algol pronunciada em sua carta, tanto o tribunal de justiça quanto a praça da política, são cenários de ocupação constantes. Diria eu que onde há abuso de poder, há Algol.

Para os antigos, dizer que uma estrela é de natureza jupiteriana, significa dizer que ela é benéfica. E dizer que uma estrela é de natureza saturnina, significa dizer que ela é maléfica. Benéfico é tudo aquilo que soma à vida, que junta, que a expande, que a floresce. Maléfico é tudo aquilo que rompe a vida, que a destrói, que a deteriora, que a apodrece. No entanto, tanto uma coisa quanto a outra são fundamentais para a manutenção do movimento do mundo e da própria vida. Algol, segundo Ptolomeu, é tanto uma estrela benéfica quanto maléfica. A vitória de uns é a derrota de outros.

Saturno está associado à Nêmesis, a justiça que, para nós, reles mortais, muitas vezes soa como trágica, terrível, feia como o olhar da Medusa. A justiça de Nêmesis pune a desmesura, o pior pecado segundo os gregos, que é tentar equivaler ou se sobrepor aos deuses. A arrogância de se achar Deus, por exemplo, é uma desmesura. Ou se achar o mais belo dos mortais, também.

Nêmesis/Saturno também está associada à justa distribuição do bem e do mal em prol do equilíbrio de forças do mundo. Por exemplo, a melancolia pós-parto que abate uma mãe depois dela ter movido o mundo e desejado como ninguém a vinda do seu filho ou, quem sabe, a inércia ou a perca de propósito que pode cair sobre quem ganha sozinho o primeiro prêmio na loteria. Inclusive há um Lote chamado Nêmesis (Asc + PF – Saturno, fórmula diurna), parte do mapa onde indicaria a justiça cega punindo a desmesura e o acúmulo de riquezas e/ou pobreza.

Uma das versões sobre o nascimento da Medusa é de que ela foi estuprada por Poseidón no templo de Palas Atena, a deusa da razão. A cabeça com serpentes, cascos no lugar de pés, pele de cobra, asas e o horror no olhar, são frutos do abuso cometido pelo o deus dos terremotos. Medusa é a representação do horror ao abuso do sexo sem consentimento.

Medusa e Nêmesis habitam a mesma esfera. A Medusa enquanto força violada, Nêmesis enquanto força vingadora. E ambas moram na barriga de Saturno, isto é, debaixo da terra. Onde há abuso sexual, há o cheiro da górgona Medusa. Nêmesis é associada a Têmis que, por sua vez é associada a Têmis. Mas creio que são deusas distintas, faces diversas do princípio regulador da vida que é a justiça.

A justiça de Júpiter, diferentemente da de Nêmesis e Saturno, clama pela ordem e obediência social. Nêmesis é a justiça da natureza, cruel, vingativa e cega – mas restituidora da Ordem – enquanto a de Júpiter é a justiça dos homens, ideológica, com ranços de civilização e, fundamentalmente, teatral: réus, advogados, juiz, júri e todos aqueles protocolos de julgamento.
Algol é uma estrela, segundo Ptolomeu, tanto de Júpiter quanto de Saturno. Eu prefiro dizer que Algol é uma estrela sob o signo da Justiça, seja a dos homens ou a da natureza. E se é uma estrela da justiça, estamos na esfera dramática da vítima e do algoz, assim como na presença de testemunhas, réus, juízes, sentenças, embora seja muito comum sob esta estrela não termos a mediação do Direito. Mas alguma esfera da Justiça sempre há. Sabe quando se clama pela justiça divina? É quando se coloca Medusa a frente para proteger.

Conclusão: onde se tenha situações de liberdade X opressão, isto é, luta contra qualquer tipo de abuso seja físico, moral ou espiritual, estamos sob os olhos de Caput Algol. Por exemplo, o fuzilamento de Rodrigo Gularte, no último dia 28 de abril de 2015, na Indonésia, pela condenação de tráfico de drogas, depois do mesmo esperar por 10 anos no corredor da morte, aconteceu sob a Lua e Mercúrio nos últimos graus de Touro. O próprio Rodrigo tem o Sol natal a 3 graus de Algol. O Governo brasileiro pediu clemência até o último minuto, mas não foi atendido. Para a Indonésia, foi feita a justiça. No momento do fuzilamento, o condenado não quis ter os olhos vendados.

A pasquitanesa Malala Yousafzai, conhecida por ter levado tiros na cabeça atirados pelo Taliban em 2012, simplesmente porque lutava pelo direito de meninas a frequentar a escola e, por isso mesmo, ganhadora do Nobel da Paz em 2014, tem Algol no Meio-Céu. Meio-Céu é o ponto mais alto do mapa, é o que temos sobre as nossas cabeças, e o que se tem ali faz com que o nativo seja conhecido por aqueles atributos correspondentes. Malala é conhecida pela sua luta contra a opressão religiosa, a favor da educação. Algol é a Medusa, é Poseidón, mas também é Perseu, o herói redentor.

Woody Allen, o cineasta acusado por pedofilia por sua ex-esposa, tem Algol no Meio Céu. Em Match Point, uma das suas obras primas, onde trata do que o ser humano é capaz por status, crava uma verdade sob os olhos da Algol: “O homem que disse: ‘Eu prefiro ter sorte do que ser bom’ entendeu profundamente a vida. As pessoas têm medo de encarar que uma grande parte da vida é dependente da sorte. É assustador pensar que não se tem qualquer controle. Há momentos, num jogo (tênis), quando a bola atinge o topo da rede e por uma fração de segundo ela pode avançar ou retroceder. Com um pouco de sorte ele vai em frente e você ganha. Ou volta para trás e você perde.” Esta sorte que Allen se refere é a justiça da Nêmesis. A meu ver, Algol é uma estrela sob o signo da Nêmesis e, por isso, ela é tão temida: não é possível controlar seus efeitos e nem compreender completamente o seu modo de fazer justiça.

O lançamento da personagem Batman, em 18 de maio de 1939, acontece com o Sol CONJUNTO a Algol. E, de fato, o Batman e seus vilões loucos, orbitam uma esfera de terror, violência e abusos de todos os tipos. Batman é tanto vilão quanto herói quanto vítima. Assim como todos os demais personagens: Coringa, Mulher-Gato, Pinguim, Duas-Caras… O fazer justiça com as próprias mãos é o mote principal da história. Assim como a loucura horrenda que transita nas ruas de Gotham. Mas é loucura fazer justiça com as próprias mãos! Não há história parecida, no universo dos quadrinhos. O próprio protagonista, o Cavaleiro das Trevas, habita uma caverna tal qual a górgona. Há psicopatia nos olhos da Medusa. Um pouco depois do lançamento do Batman, Hitler ascende ao poder. Em setembro, invade a Polônia iniciando a II Guerra Mundial.

Quando escrevi o artigo Batman – O Cavaleiro das Trevas do Zodíaco, eu não tinha conhecimento das Estrelas Fixas, por isso não a citei. Por isso digo, hoje, que estudar Astrologia, ler mapas, escrever artigos sobre o tema, e desconsiderar Algol, ou é ignorância ou legítima defesa. Há quem não possa falar sobre a Medusa, compreendo perfeitamente. Acho legítima a legítima defesa. Espero ainda ter a sorte de reescrever o meu artigo sobre o universo de Gotham.

Uma das explicações de que Algol imantou toda esta simbólica em torno de si, é porque se trata de uma estrela binária. Algol são duas estrelas que se movimentam e eclipsam uma a outra e, por isso, a estrela apaga e volta a aparecer, a piscar. É como se o demônio sumisse e retornasse do fundo do lago a assustar a quem a observa. Por analogia, também poderia pensar na capacidade de ressuscitar desta estrela. E, de fato, no mito a Medusa não morre, é capturada. Ou melhor, a cabeça da Medusa é quem não morre jamais.

O mito conta que Perseu parte em busca da Medusa depois que é desafiado pelo rei da sua cidade numa noite de bebedeira. Perseu bebe demais da conta e promete vencer o monstro. No dia seguinte, depois dos efeitos da bebida (que é uma espécie de decapitação da razão), o próprio rei o lembra da promessa feita, que traria a cabeça de Medusa custe o que custa – o rei queria Perseu longe. E Perseu, desafiado pela segunda vez, parte em busca do esconderijo da Medusa. No caminho, tem ajuda de Palas Atena, Plutão e Mercúrio que entregam a ele escudo, um saco para colocar a cabeça da vilã e o elmo da invisibilidade; das Gréias, as três feiticeiras, as únicas que sabem onde Medusa mora, rouba o olho de uma, o dente da outra e assim negocia o endereço do mal. Com o caminho em mente, chega ao local e adentra o recinto da horrorosa. Tem a seguinte recomendação dos deuses: jamais olhar diretamente nos olhos da Medusa. Caso contrário, viraria pedra. E, por não olhar diretamente ao terror, utilizando o reflexo da imagem no seu escudo, decepa a cabeça do demônio. Com a cabeça da Medusa, volta à sua terra. No caminho, encontra Andrômeda acorrentada e oprimida por Cetus, monstro o qual, com a cabeça que possuía, faz virar pedra. Salva Andrômeda, com quem casa. No seu reino, descobre que sua mãe foi abusada pelo rei. Perseu faz justiça e também faz todos da corte virarem pedra. Ah, um detalhe: Perseu só sai do esconderijo da Medusa porque, ao cortar a cabeça da Górgona, ela urra e faz nascer o seu filho, fruto da união violenta entre ela e Poseidón: Pégasus. As asas que Medusa tinha são de Pégasus. Perseu volta a sua casa montado num cavalo alado! Da decapitação da Medusa, além de Pégasus, nasce Crisaor, um gigante. Perseu, Medusa, Pégasus, Crisaor, todas faces de uma mesma narrativa.

Medusa, em grego, significa guardiã ou protetora. Não é por acaso que a Medusa estava na Égide de Palas Atenas. Ou nos escudos de guerra. Ou ainda, servindo de amuleto nas portas de certas cidades. Em torno do seu ícone, temor e respeito.

Medusa, guardiã e protetora de verdade, é mais ou menos assim: (vide imagem anexada)

Cena do filme Cristo Rey onde configura a imagem de Perseu. Trata de uma mãe em defesa do seu filho. Observe os olhos, as armas e as cabeças. Agora eu lhe pergunto: Quem é a Algol, quem é Perseu?

(Este artigo sobre Algol continua).//

Agradecimentos a Letícia Helena, a Andréa Guerra, por me lembrar de exemplos e detalhes.

02/05/2015 – ‪#‎horoscopo‬ ‪#‎efemerides‬

A Lua caminha pelo signo da Libra. Transita pela Via do Fogo (15 de Libra a 15 de Escorpião). As horas do dia passam por esta estrada. Mas, apesar dos dias quentes e terríveis, e da Via ser quente e seca, estamos bem, continuamos a lutar.
A Lua faz um trígono exato a Vênus, onde é recebida por Mercúrio que se encontra em casa, em Gêmeos. As pessoas têm muito a falar.
Se há Algol constelada nos céus de Curitiba nos últimos dias, Perseu encontra-se com a foice na mão. É preciso olhar no fundo dos olhos do abuso. Peço que as autoridades de Justiça, imprensa, sociedade civil faça alguma coisa, porque começa a pender a Balança do julgamento para o lado do minimamente responsável. E é sempre bom lembrar que a conivência, a omissão, é a pior barbárie.
Faz Sol e sol na minha cidade. E Marte caminha para Algol. Dias 5 e 6 estará em conjunção. Creio que a PM do Paraná e, até mesmo o secretário de segurança, viverá momentos tenebrosos. Cairá? Sua cabeça rolará? A conferir.
Mas não esqueça, acima do secretário de segurança há quem assina os absurdos arquitetados.
Tempos bons, tempos ruins.
A Lua encontra-se em Libra. Lua em trígono em Vênus.
Vá namorar que você ganha mais.
Bom dia, Saturnália!
‪#‎astrologia‬
João R. Acuio

01/05/2015 #horóscopo #efemérides

A Lua está em Libra e caminha para um sextil com Júpiter em Leão. Advogar em causa própria só é válido se você estiver inserido no mundo real, nos problemas reais. E o mundo real é um mundo em que faltam privilégios e sobra melancolia.
Libra é o signo em que Saturno se exalta, e Júpiter é quem recebe Saturno em Sagitário. Saturno em Sagitário é o professor ferido. É graças a um professor que estou escrevendo este horóscopo e você o está lendo. Advogar pelos direitos dos professores é advogar pelos próprios direitos e pelos direitos dos seus.
Hoje é dia do trabalho. Todos merecem fazer seu trabalho, exercer seus dons em condições dignas.
Há 21 anos, acontecia o fatal acidente que matou Ayrton Senna.
Senna morreu em uma corrida que, por lei, deveria ter sido cancelada. Senna morreu sob os olhos de Algol.
Até sua morte, 45 pilotos morreram a bordo de carros de Fórmula 1. Ele foi o 46º e também o último. Toda a segurança dos carros foi aprimorada.
Uma tragédia que trouxe lições de justiça.
Que lições de justiça aprenderemos sobre a tragédia que abate a educação neste país? Mercúrio já está em Gêmeos, oposto a Saturno.
As greves devem continuar por ora.
Bom dia, bom dia.

 

Texto: Letícia Helena Santa Cruz

30/04/2015 – ‪#‎astrologia‬ ‪#‎horoscopo‬

Hoje, depois de bombas e mais bombas atiradas contra professores, manifestantes e cidadãos de Curitiba, bombas atiradas pelas mãos do Governador do Estado, das duas, uma: ou a população de bem dê um sinal, o mínimo que seja, para dizer que não tolera a intolerância, ou se cale para sempre. Eu penso me mudar de país.
A Lua está em Virgem e, daqui a algumas horas, ingressará no signo da Libra. E todas as notícias sob o signo da Justiça tomarão os portais de notícia.
Você, cidadão, tem que entender que o Estado brasileiro é ineficaz porque você é ineficaz na pressão que exerce sobre o Estado brasileiro. Porque somos tolerantes com a intolerância.
Já estou convencido que o Brasil tem uma população fascista. Ou não? E uma população também masoquista. O Estado é perverso.
O clima é tenso porque nos últimos dias estamos sob os olhos de Caput Algol. A Medusa nos observa dos céus. Mas a Medusa nos observa porque encaramos a Medusa. E quando isso acontece o drama vivido pela cidade é o da opressão X liberdade. A Medusa também é vítima de violência.
Aliás, a violência é generalizada no dia a dia de todos nós. Nas grandes e pequenas coisas. Nas macro e nas micropolíticas. Já reparou? Já reparou no peito estufado do seu irmão procurando impor a arrogância a quem lhe diz bom dia?
A Lua estará em Libra daqui a pouco. Pode quebrar os pratos da Balança.
Eu sugiro, hoje, que, em vez de bater panelas, que tal quebrar pratos na frente da Assembléia Legislativa do Paraná? Quebrar pires como um ato simbólico.
Hoje também, mas já na madrugada, Mercúrio volta para sua casa, Gêmeos. Espero que a possibilidade de diálogo também. Embora, agora, eu me recuso a conversar com quem já demonstrou que não respeita o exercício de alteridade e, muito menos, a verdade.
A Maria Bueno não abençoa, a Gilda não abençoa.
Tenha uma bom dia, Saturnália.

16/04/2015 – ‪

 

A Lua encontra-se em Peixes. E o mundo sonha com o seu salvador. O algoz colocou a minhoca no anzol.
A melhor coisa a se fazer é esquecer tudo isso e aumentar o som.
Blues, jazz ou música caipira.
Sempre há alguém que é um sonho.
No cair da tarde a Lua ingressa no signo de Áries e o humor do dia deixa o sono e a perdição de lado para dar pulos de alegria e entusiasmo.
A conferir.
E quando a Lua ingressar no signo de Áries, começam os preparativos para a Lua Nova do dia 18/04, a que dará um novo start nos anseios da cidade.
Bom dia, Saturnália !